Sob O Jugo Do Medo – Parte 1

No Planeta Terra, a humanidade comemora o inicio de um Novo Ano. Brindam, uns pelo sucesso do ano que findou, outros, na esperança de que o ano que inicia lhes seja mais benéfico, outros ainda, tentam nas bebidas e até nas drogas olvidarem o mundo conturbado que os envolve, procuram esquecer naquelas, até de suas próprias vidas. Sente-se um vazio moral, mental e espiritual em cada Alma Humana, principalmente neste agora. Tempo em que vemos uma mistificação de quase tudo o que nos cerca. Perde-se a visão e a noção do que é certo e errado, bom e mau, moral e imoral. Surgem valores que nos deixam incrédulos. Vivemos momentos difíceis e uma confusão mental toma conta de todos. Estamos perdendo a faculdade de discernir com precisão tudo o que estamos arruinando; o que nos causava revolta e até desprezo, hoje, torna-se aceitável e natural.
Lamentavelmente o nosso Lar, a Terra e os indivíduos que nela vivem, com certeza, estão desabando. Uma inquietude e ao mesmo tempo um anseio está permeando a humanidade, como se algo lúgubre e ao mesmo tempo glorioso estivesse para acontecer. Um medo silencioso envolve a todos e o pânico ronda a mente de ser humano. Sabemos que estamos vivendo sob o poder do medo e que somos dominados por energias sombrias que determinam o nosso caminhar e a nossa maneira de ser.
Há um clamor, ainda abafado, de todos os que buscam a Luz. As palavras, os pensamentos perdem-se na imensidão sem encontrar retorno, porque está sendo difícil romper as barreiras mentais daqueles que reprimem as Novas Verdades. A Humanidade continua sendo exigida e pressionada pelas leis terrenas, pelo modelo e determinação das religiões, pela sociedade da qual participamos. Somos obrigados a realizar coisas que não condizem com a nossa maneira de ser. Muitos, hoje, procuram alimentar-se da Verdade e esta por sua vez traz a Luz que Vivifica, preenchendo-nos da Sabedoria e do Amor Universal.
Nossa preparação é importante para que possamos controlar e dissolver essas forças negativas que tanto nos envolvem, fazendo-nos ficar distantes da Grande Verdade, distanciando-nos das Leis Universais e do real motivo de estarmos aqui, fazendo esta rápida passagem, neste plano de terceira dimensão.
Para conseguir a paz e a harmonia que almejam, muitos buscam em rituais ou em outras cerimônias, o equilíbrio para suas vidas e a força necessária para enfrentar o mundo hostil e complicado que nos cerca. Entretanto, na maior parte das vezes, saem desses lugares mais preocupados e angustiados, porque mentes arcaicas os preencheram de culpas. Na presente época essas forças retrógradas, não mais conseguem sobrepor-se as Novas Energias entrantes, porque elas não mais correspondem ao movimento intenso das Energias Evolutivas.
Muitos segredos já foram desvelados e uma Nova Consciência passa a se disseminar entre os indivíduos que se deixam permear pelo Novo Conhecimento. Àquele Deus impiedoso, raivoso, cruel, que muito nos amedrontou não mais existe, era falso e nada tinha de Divino. Ficou no passado para a maioria. Mas, ainda continua preso em algumas cabeças involuídas, que dificultam o processo de desenvolvimento evolutivo de boa parte da população. De tanto nos fustigarem, acordamos e aprendemos que não era “ELE” que nos punia com doenças, pestes, fome, catástrofes, entre outras coisas. Simplesmente, atraímos as negatividades que nós próprios emitimos através de nossos pensamentos e ações nefastas. É o efeito bumerangue que se faz sentir.
Quando nossos pensamentos armam e emitem algo negativo contra alguém, estamos prejudicando a nós próprios. Todo pensamento produzido negativa ou positivamente retorna, instantaneamente, multiplicado para quem o emitiu, principalmente no momento atual em que tudo age aceleradamente. Pensamentos de rancor, inveja, ciúmes, soberba fazem muito mal ao Ser Humano, tornam os indivíduos amargos, mal-humorados e hostis. Muitos deixam sobressair suas maldades para encobrir seus próprios medos, angústias e dificuldades.
Por vezes, achamos que a vida nos nega chances de viver com mais conforto, harmonia e tranqüilidade, porém, essas oportunidades, na maior parte do tempo, sem perceber, nós as distanciamos. Se prestarmos atenção aos nossos pensamentos internos, àqueles que estão armazenados nos recônditos de nossa mente, descobriremos, então, a razão ou o porquê de nada se realizar em nossa caminhada, como gostaríamos que acontecesse.
A Humanidade dá voltas, é um vai-vem sem parar, e cada vez mais, ficamos aprisionados em nossos problemas diários, fugindo de nós mesmos por medo de ser trucidados pelo peso de nossos próprios temores que crescem a cada dia. Todos só pensam em construir um futuro dentro de sua razão material e na ordem desse plano denso e ilusório no qual vivemos e nos alimentamos mentalmente. O Ser Humano não mais encontra tempo para si mesmo, para se aperfeiçoar, fica envolvido em pormenores ao invés de se esforçar para atingir algo mais sublime e levar mais Luz para a sua Alma. Àqueles que se dedicam às causas nobres e elevadas vão lentamente condicionando sua mente, seu corpo/células a se preencherem de muita Luz, entrando em sintonia com a luminosidade e leveza que existe nas formas dos mundos superiores.
O que devemos fazer é mudar nossa maneira de pensar, isto é, mudar o nosso modo de viver. Aprender a dominar os nossos medos é importante, pois, eles nos mantêm prisioneiros de nossas emoções e aí, ficamos inertes, sem ação. Faz-se necessário eliminar do nosso coração, da nossa mente todas as emoções mesquinhas, elas esgotam nossa energia, nos envelhecem e diminuem nosso tempo de vida.
É importante para nós, concentrar esforços para eliminar as negatividades que nos dominam. Estas nos causam um pavor crescente: medo de pessoas, medo de ambientes fechados, de viajar de avião, de ônibus, de elevadores e outras tantas fobias e até, medo de nós próprios. Esse medo surge quando o Ser Humano se afasta de seus amigos, colegas de trabalho e por vezes, até da própria família, não mais troca idéias, não mais é solidário, individualiza-se, passa a viver enclausurado em si mesmo e indiferente a tudo. Não admite ser perturbado por problemas alheios. Tais indivíduos, mal percebem que estão criando para si próprios, uma vida de condições muito piores do que os problemas de seus semelhantes. Sozinhos, criarão seu próprio pânico, seus próprios temores e muita solidão.
Continua … (Leia a parte 2)

 

Acesse os links abaixo e leia as continuações:
Sob O Jugo Do Medo – Parte 2
Sob O Jugo Do Medo – Parte 3

Publicado por: Celedina Consuela Muxfeldt

Celedina Consuela Muxfeldt
Advogada, Pesquisadora de Ciência Lilarial do Dakila Pesquisas, Palestrante e Instrutora de temas conectados com o despertar da consciência cósmica e mantenedora do Portal2.org.br.

Interaja conosco. Comente abaixo