Forças Desconhecidas que Atuam na Terra

– OS LEYS –

Civilizações remotas e povos antigos tinham conhecimento dessa Energia vibrante que se desloca através da Terra. Muitos pesquisadores creem que os Leys estejam localizados junto a canais de energia geofísica. Nestas regiões foram erguidos monumentos, palácios e igrejas em locais denominados de “nódulos”, pontos onde os pesquisadores e estudiosos encontraram intersecções dos Leys. Verificaram que nesses pontos a energia era muito mais intensa e capaz de desencadear fenômenos psíquicos. Há registros de ocorrências e muitos episódios chamados de “sobrenaturais”, que foram observados nos locais onde existem os Leys.

Ufólogos, engenheiros astrólogos, rabdomantes entre outros, tentam há muito desvendar os enigmas que ali ocorrem. Igrejas famosas como a de Kingston, a de Falmet, Steynings, Breage, Bruncton foram construídas sobre os cruzamentos dessas linhas Leys-, assim como os Castelos de Sedgewicck, o de Knepp e muitos túmulos encontram-se sobre esses Leys.

Em tempos remotos havia no cimo de uma colina no sul da Inglaterra, uma Fortaleza Anglo-Saxônica, construída sobre o cruzamento de cinco Leys; uma das linhas segue em direção oeste na qual se encontram vários túmulos, outra vai em direção ao norte e as três restantes seguem na direção leste, rumo a Igreja de Poynings e da Igreja de Kingston a mais famosa. Locais estes onde provavelmente aconteceram sangrentas batalhas.

Muitos curiosos visitam essas regiões. Um grupo de amigos dirigiram-se até certo ponto para pesquisarem, observarem e obterem comprovações de tantos fatos relatados. Quando próximos ao Círculo de Pedras – STONEHENGE, local pretendido para estudo e observação, o Sr. William Lincoln foi erguido do solo por uma força invisível, ficou suspenso horizontalmente por uns 30 segundos. Conforme relato de seus companheiros de pesquisa, os gritos de Lincoln ficaram gravados assim como seus pedidos de socorro.

Como o descrito acima, muitas outras manifestações foram vistas acontecendo nestes locais.
Estudiosos dos Leys afirmam que sobre tais Linhas, vibram determinadas energias que atraem seres não identificados, como também ocorrem manifestações de um passado mais próximo desta época que vivemos. Observaram os pesquisadores que esses fenômenos ocorrem em determinados dias, determinadas horas e que existe também a influência da posição dos astros.

Stephen Jenkis, na época com 16 anos, andava na região contemplando as plantações, os campos, quando repentinamente vê bem próximo, um grupo de cavaleiros medievais, vestidos a caráter com as armaduras da época, bem como seus cavalos estavam com roupagens pretas, vermelhas e brancas. Quando Jenkis fez menção de correr tudo desapareceu. Quarenta anos depois voltou ao local com sua esposa, a mesma manifestação reapareceu, foi vista desta vez também por ela.

Segundo estudos do próprio Jenkis, diz ele que há naqueles sítios espectros e energias que assombram toda aquela região da Cornualha, principalmente em Salsburry e que tais energias emanam com mais intensidade nos cruzamentos dessas Linhas Leys.

Paul Devereux é um obstinado estudioso dos monumentos megalíticos, acredita ele, que além da energia emanada das linhas Leys, existe nas pedras eretas de Stonehenge uma força inexplicável, conhecida também, como Energia Telúrica a qual coincide e interage com os alinhamentos e cruzamentos dos Leys.

Devereux e sua equipe de pesquisadores, batizaram suas pesquisas e estudos de “Projeto Dragão” – antigo símbolo chinês que indica as correntes magnéticas da Terra. Muitos sinais foram detectados, estes iniciavam a uns vinte minutos antes do sol nascer e desapareciam uma a duas horas depois. Muitas vezes viam espirais de energia em torno dos megálitos. Em seus estudos foi identificada uma das energias como sendo a de ultrassom, frequência essa que está fora do alcance do ouvido humano é uma frequência utilizada nos apitos para cães.

Com um aparelho chamado de magnetoscópio – registra o magnetismo da Terra -, verificaram que uma das pedras apresentava um campo magnético bem mais elevado e, que essa energia possuía variadas flutuações.
Atualmente são utilizados sensores eletrônicos para captar a Energia Telúrica e detectar para qual ponto se dirigem os Leys.

Há muitos lugares na Terra onde se encontram esses pontos de Energia, regiões nas quais foram vivenciados elevados índices de ocorrências sobrenaturais, principalmente na região de Salsburry- Inglaterra.

Diz Watkins: Os Leys formam uma corrente encantada que se estende a vários lugares do planeta. Cientistas como: Alexander Thom, Lockyer, Hawkins, Atkinson, são pesquisadores que registraram a existência dos Leys. Dr. Josef Heinsch, verificou que na Alamanha, também existe alinhamento de Igrejas com colinas consideradas sagradas. Nos Estados Unidos, William Pidgeon também pesquisou e obteve a confirmação da existência de alinhamentos em colinas artificiais dos indígenas.

Stonhenge, região famosa por ser um espaço para onde convergem em maior quantidade esses Leys e onde há um maior cruzamento dessas Linhas energéticas, concentrando nessa região um foco de energia como se fosse uma espécie de bateria ou um ponto de transmissão e recepção de energia ligada a uma misteriosa rede de força, ao mesmo tempo espacial e terrena.

Cientistas afirmam que esses Leys são uma extraordinária rede de Linhas de energia encontradas em vários países e que já eram compreendidas e assinaladas em épocas pré-históricas por homens e mulheres de muita sabedoria e consciência cósmica. Esses homens/mulheres já as armazenavam e as manipulavam através dos megálitos.

Remotas Civilizações – os Muril -, já haviam pesquisado, estudado e traçado a malha magnética da Terra como também, identificaram os vórtices de energia existentes. São Eles os Viajantes do Espaço, os Engenheiros do Universo, os Geógrafos dos vários Sistemas existentes. Aqui, demarcaram e limitaram áreas para exploração. Foi uma raça que aqui esteve para pesquisar, estudar e conhecer o que existia neste belo planeta. Edificaram Pirâmides escalonadas e deixaram muitas Bases e Monumentos construídos a partir das Linhas Leys existentes neste nosso planeta e, em outros mundos especiais como a nossa Terra. No Livro “Digitais dos Deuses” é possível encontrar tudo o que eles aqui deixaram. A intenção desses povos/raças não era a de colonizar a Terra mas somente pesquisar, estudar e conhecer o que aqui existia.

Em nosso tempo, Druidas modernos juntam-se e celebram o Solstício de Verão em Stonehenge. São grupos que se auto nomearam “descendentes” dos remotos Druidas e naqueles sítios realizam seus rituais durante as mudanças das estações.

Existem pessoas dotadas com poderes psíquicos que são capazes de ver imagens e fatos de acontecimentos de passado remoto. Outros veem fluxos de energia Cósmica, como colunas rodopiantes de energia viva descendo para o centro dos Megálitos. Outros ouvem e veem fluxos de energia elevando-se do centro dos Megálitos, cujo som seria semelhante a uma zoada do enxame de abelhas.
Após tantas pesquisas e estudos, inclusive com a arqueoastronomia, ninguém pode prever com absoluta certeza o que são realmente os Leys.

A ciência terrena e o mundo místico vão certamente continuar estudando e pesquisando os LEYS, os Megálitos, as Colinas Sagradas, procurando desvendar os mistérios contidos nesses lugares. E, sem dúvida essas regiões, principalmente Stonehenge, continuarão fascinando a imaginação da população deste pequeno Universo- Planeta Terra.

Talvez esses segredos sejam inacessíveis ao Ser Humano, aos Terráqueos ou, somente sejam revelados completamente quando o Homem/Mulher tiverem consciência de quem eles realmente são.

Publicado por: Celedina Consuela Muxfeldt

Celedina Consuela Muxfeldt
Advogada, Pesquisadora de Ciência Lilarial do Dakila Pesquisas, Palestrante e Instrutora de temas conectados com o despertar da consciência cósmica e mantenedora do Portal2.org.br.

Interaja conosco. Comente abaixo