E Bilu mais uma vez estava certo: o controle global já chegou

Um morador de Belo Horizonte de 29 anos tornou-se recentemente o primeiro brasileiro a implantar um chip do tamanho de um grão de arroz na mão. A novidade tecnológica facilita algumas situações, porém traz junto o controle e a manipulação.

Embora traga praticidade, sendo um avanço tecnológico que possibilita dispensar o uso de senhas de cartões de crédito e débito, e-mails, o controle de equipamentos eletrônicos ou até mesmo abrir a porta de casa sem usar chaves, o biochip após ser implantado na pele humana pode se transformar em um pesadelo, sendo que o primeiro inconveniente é a impossibilidade de ser retirado do corpo.

Essa advertência foi feita há alguns anos atrás pelo ET Bilu, o jovem sábio das estrelas.

Bilu afirmou que o uso do biochip embute em sua tecnologia situações bastante desagradáveis. Por meio dele, instala-se oficialmente a manipulação da população no Brasil, país que tem todas as condições de se tornar a maior potência mundial. A submissão, articulação política e a inércia das lideranças brasileiras acaba cedendo às pressões dos países estrangeiros, selando o destino do povo, sem ao menos dar a chance de conhecer o que isso significa.

As lideranças mundiais simplesmente ditam as regras para saciar seus desejos pessoais de prosseguir no comando, transformando a população em uma boiada humana. Dessa vez, por falta de informação e conhecimento, os brasileiros estão indo de encontro a uma santa inquisição moderna, tendo como objetivo o fundo do poço.

biochip_arma_da_elite_controle_populacao

Com o biochip, informações são transmitidas por radiofrequência e com isso é possível desbloquear celulares, tablets, computadores, destravar catracas de ônibus, fazer transações bancárias. Além disso, nele podem ser armazenadas diversas informações até mesmo o tipo sanguíneo, peso, altura e doenças. Para o funcionamento, ele usa uma pequena bateria de lítio interna e a quantidade desse elemento contida já é suficiente para causar danos à saúde.

O uso do biochip já está de certa forma disseminado em alguns países do primeiro mundo, entre eles a Suécia, onde empresas implantaram chips em seus funcionários para que os mesmos possaam interagir com os sistemas. A maioria de nós está acostumada a usar crachás, cartões e senhas para entrar em prédios de escritórios, pagar ingressos e fazer compras, mas na Suécia alguns edifícios ou escritórios já obrigam seus usuários a usarem a tecnologia para se poder entrar nos prédios.

Porém ainda há muita controvérsia sobre o assunto. Existe a possibilidade do biochip deixar de ser um simples experimento isolado, e os governos globalmente decidirem que todos devam usar o pequeno aparelho. Caso isso venha a ocorrer, definitivamente a Matrix estará plenamente instalada nos países que adotarem o sistema, com o controle total sobre a população.

Há 11 anos atrás, (2004) o famoso ET Bilu alertou diversas pessoas sobre a manobra que as lideranças mundiais estavam planejando em implantar um sistema único no mundo, um sistema global que tem como título A NOVA ORDEM MUNDIAL. Esse novo sistema pretende lançar um líder mundial único que ditará as regras para todos os países, além de forçar a utilizar da tecnologia do biochip implantado na mão ou na testa substituindo toda a documentação pessoal existente até hoje. Esse seria o famoso SINAL DA BESTA informado no Livro do Apocalipse.

chip

Essa tecnologia terá um marketing apelativo supostamente benéfico para facilitar as atividades diárias, além de outras diversas utilidades que deverão ser apresentadas em breve com o objetivo de encher os olhos e inflar a vaidade das pessoas, motivando a todos a aderirem ao novo sistema.

Bilu também alertou em 2004 que essa modernidade visa escravizar tecnologicamente todas as pessoas, eliminando a possibilidade de questionar seus próprios governantes, reivindicar ou lutar por sua própria dignidade, pois qualquer pessoa que contrariar os interesses do sistema poderá ser bloqueado e ter sua vida prejudicada de diversas maneiras como, por exemplo, não poder realizar transações financeiras e operações ligadas a bancos por não contar mais com documentos pessoais físicos como RG, CPF e, até mesmo, carteira de motorista, ficando isolado do sistema, sem poder fazer nada.

Além disso, se o setor que controla a tecnologia do biochip poderá a qualquer momento, acionar um comando para ativar a destruição do chip implantado no corpo do indivíduo, liberando resíduos da bateria de lítio ou qualquer outra substância letal contida no aparelho, colocando assim em risco a saúde vital do seu portador.

http://www.urandir.com.br/2015/12/e-bilu-mais-uma-vez-estava-certo-o.html

Publicado por: Gildásio Starling

Gildásio Starling
Administrador de Empresas com Pós-graduação em Administração Financeira e Investimentos, Pesquisador de Ciência Lilarial do Dakila Pesquisas.

Interaja conosco. Comente abaixo