Alimentos e Bebidas Que Devemos Evitar

Extrato do Livro: O PARAÍSO É LOGO ALI – ESTRATÉGIAS DE MANIPULAÇÃO DA VERDADE de Gildásio de Andrade Starling

“… – (Maria Lúcia) Dona Neném, a solução para tantos contaminantes é simples, basta a senhora observar essa orientação básica: o que leva a saúde ou a enfermidade para o seu corpo é o binômio “acidez” ou “alcalinidade”. Isso não significa que o alimento ácido seja ruim e o alcalino seja bom, já que os dois são necessários e complementares para uma boa saúde.

– Eu já falei sobre isso em uma outra reunião, não sei se vocês se lembram: todas as células normais tem como requisito absoluto o oxigênio. As substâncias ácidas repelem o oxigênio e as substâncias alcalinas atraem o oxigênio. Os tecidos cancerosos são tecidos ácidos, eles repelem o oxigênio, enquanto que os tecidos saudáveis são tecidos alcalinos. Portanto, para eliminar a maioria das doenças precisamos eliminar a acidez do nosso corpo e torná-lo meio alcalino. Essa é uma informação preciosa, que é a base da nossa saúde e a base da nossa palestra de hoje! Entenderam?

– (Todos) Sim! Entendi!

– (Rose) Então, a solução é alcalinizar o corpo para neutralizar a acidez?

– (Maria Lúcia) O princípio é esse, Rose! Um alimento alcalinizante é capaz de equilibrar a acidez do sangue tornando-o menos ácido e aproximando-o do pH ideal. O pH do seu corpo deve estar sempre levemente alcalino. Assim, qualquer método que você use para cuidar da sua saúde somente será eficaz se o seu pH estiver equilibrado. Se seu pH não estiver equilibrado, você não pode assimilar as vitaminas, os minerais e os suplementos nutricionais necessários a uma vida com qualidade. Equilibrar o pH é um passo importante para manter a nossa saúde física, mental e emocional. É vital para a saúde de todo o nosso organismo.

– Essa é a parte teórica que eu queria passar para vocês. Daqui para a frente será prática com exemplos e apresentação do que devemos e do que não devemos consumir. Alguma dúvida até aqui?

– (Vicente) Maria Lúcia, qual é o pH ideal do corpo humano?

– (Maria Lúcia) Vicentinho, o potencial de hidrogênio (pH) ideal do nosso sangue varia de 7,35 à 7,45, ou seja levemente alcalino; de uma escala que vai de “0” – extremo ácido até “14” extremo alcalino. Entendido?

– (Todos) Sim!

– (Maria Lúcia) Apresento para vocês o primeiro gráfico que preparei que, dentro da minha visão, representa os alimentos e bebidas que devemos evitar ou consumir de maneira eventual, em pequenas quantidades:

Screenshot_1

– (Maria Lúcia) Essa é uma “plataforma da doença” composta por alimentos e bebidas que acidificam o nosso organismo, deixando-o propício para as enfermidades, ao longo do tempo. Aqui é o campo minado da alimentação!

– O sal refinado é produzido a partir do sal marinho. Entretanto, ele é empobrecido pois no processo de produção são retirados diversos nutrientes e, em contrapartida, são adicionados alguns aditivos químicos altamente prejudiciais à saúde. Essas informações eu obtive no site: http://www. syntonia.com/textos/textosnatural/textosalimentacao/salrefinado.htm.

– O sal marinho contém cerca de 84 elementos que são retirados para a comercialização durante o processo industrial para a produção do sal refinado. Perde-se então enxofre, bromo, magnésio, cálcio. Como sempre, a visão do lucro empobrecendo o alimento que consumimos! A história se repete e sempre tem alguém ganhando dinheiro!

– Durante a fabricação, na lavagem do sal marinho, são perdidas as algas microscópicas que fixam o iodo natural, sendo necessário depois acrescentar iodo, que é então colocado sob a forma de iodeto de potássio, um conhecido medicamento usado como expectorante em xaropes. Ocorre que o iodeto é química pura e geralmente é utilizado numa quantidade 25% superior à quantidade normal de iodo do sal natural, o que predispõe o organismo a uma série de problemas de saúde como os nódulos, os tumores, o câncer e a hipoplasia, que é a diminuição da atividade formadora dos tecidos orgânicos como pele e músculos. A pessoa vai ficando com a pele fina e enrugada!

– (Dona Neném) Então o sal marinho, não lavado, contém iodo de fácil assimilação e em quantidades ideais?

– (Maria Lúcia) Isso, dona Neném! O problema é que tem indústrias poderosas com interesse na extração de produtos do sal bruto, na venda do sal refinado e na venda do iodeto de potássio que geram lucros absurdos para essas multinacionais.

– O pior é que, buscando clarear o produto para atender às exigências dos consumidores, em ter um sal branquinho, é feita lavagem à quente onde ocorre a perda da maior parte dos seus macro e microelementos que são úteis na ativação das enzimas essenciais à nossa saúde.

– Depois de empobrecido, para evitar que o sal se torne líquido ou fique empedrado, adiciona-se, de forma criminosa, o óxido de cálcio, que é a cal que se usa na parede da nossa casa. É um contaminante que favorece o aparecimento de pedras nos rins e na vesícula biliar.

– (Rose) O que a senhora recomenda para substituir o sal refinado, esse vilão que tanto nos acostumamos a usar, até abusivamente?

– (Maria Lúcia) Existem muitas opções no mercado. O melhor é reduzir ao mínimo o consumo de sal refinado. Temos uma boa opção que é Sal Rosa, que é extraído do Himalaia e contém cerca de 84 minerais diferentes. Outra opção é o Gersal, um mix de sal marinho com gergelim torrado e moído, rico em cálcio. Como terceira opção, eu recomendo a Flor de Sal, que são pequenos cristais brancos ricos em minerais, muito usado por Chefs de cozinha.

– Também é possível substituir o sal refinado por um conjunto de temperos que provocam uma magia no paladar e sofisticam os mil sabores dos alimentos: o Alecrim que apresenta ação antioxidante, anti-inflamatória e antibacteriana; auxilia no combate à bactéria Helicobacter Pylori, uma das responsáveis por úlceras gástrica e duodenal. Atua no sistema digestivo, aumentando a produção de enzimas digestivas. O Manjericão que melhora o fluxo sanguíneo, prevenindo a hipertensão arterial. Possui ação antioxidante e anti-inflamatória. A Hortelã que tem ação analgésica, estimulante, aromatizante, antioxidante, expectorante, previne problemas bucais e ainda ajuda na digestão, aliviando problemas estomacais e intestinais. A Salsinha que tem ação digestiva, combate cólicas menstruais e ainda é indicado para infecções urinárias e problemas renais. É rica em antioxidantes e anti-inflamatórios. E, finalmente, o Gengibre que tem ação digestiva, diurética, antitrombótica, antidepressiva, antisséptica. Funciona como estimulante da circulação geral e cardiovascular. Essas informações eu obtive no site: http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/vigilante-da-causa-magra/dez-temperos -que-substituem-o-sal-na-medida-certa/. Vamos conhecer outro vilão da saúde!

– (Maria Lúcia) O açúcar refinado passa por um processo semelhante à produção do sal refinado. Para ficar mais branco e soltinho, o açúcar extraído da natureza é submetido ao intenso processo industrial em que se procura incluir inúmeros agentes químicos para clarear o produto. Nesse processo, as fibras, os sais minerais, as proteínas e os demais nutrientes são eliminados, resultando em um produto cheio de calorias vazias que o corpo não precisa! Calorias vazias são alimentos cujo valor energético é nulo, só engorda e faz mal à saúde!

– A glicose, que o nosso cérebro precisa diariamente, provém do açúcar natural que já está presente nas frutas e não é prejudicial ao nosso organismo. O consumo do açúcar refinado produz um estado de superacidez que desmineraliza o nosso corpo, levando à carência de cálcio, magnésio, zinco, cobre e selênio, já que o seu pH é 2,1 – altamente acidificante! Se o pH do nosso sangue é acima de sete, imagine o quanto nosso corpo precisa trabalhar para garantir um novo equilíbrio, após o consumo exagerado de açúcar?

– Eu fiz uma lista de problemas metabólicos causados pelo açúcar refinado. Essa lista foi elaborada a partir de consultas a várias revistas médicas e especialmente no site: http://www.vivaplenamente.net/os-maleficios-do-acucar para que vocês entendam melhor o que este vilão do nosso bem-estar pode fazer no nosso organismo:

1. Pode desativar o nosso sistema imunológico e prejudicar as nossas defesas contra as doenças infecciosas.
2. Desorganiza as relações entre os sais minerais no organismo, provocando deficiência de cromo e cobre e interferindo na absorção de cálcio e magnésio.
3. Pode provocar um aumento rápido de adrenalina, de hiperatividade, de ansiedade, de dificuldade de concentração e de irritabilidade em crianças.
4. Pode provocar um aumento significativo no nível total de colesterol, triglicerídeos e mau colesterol, e reduzir o bom colesterol.
5. Provoca a perda de elasticidade e funcionalidade dos tecidos.
6. Alimenta as células cancerosas e está relacionado ao desenvolvimento de câncer de mama, ovário, próstata, reto, pâncreas, trato biliar, pulmão, vesícula e estômago.
7. Pode aumentar o nível sanguíneo de glicose em jejum e provocar, como reação, a hipoglicemia.
8. Pode piorar a visão e provocar catarata e miopia.
9. Pode provocar o envelhecimento prematuro.
10. Pode provocar muitos problemas do trato gastrointestinal, como gastrite, indigestão, má absorção em pacientes com doença intestinal funcional, aumento do risco de doença de Crohn, colite ulcerativa.
11. Pode levar ao alcoolismo.
12. Pode acidificar a saliva, estragar os dentes e provocar doença periodontal.
13. Contribui para a obesidade.
14. Pode provocar doenças autoimunes como artrite, asma e esclerose múltipla.
15. Ajuda muito na infecção descontrolada de Candida Albicans (fungo).
16. Pode provocar cálculos de vesícula.
17. Pode provocar apendicite, hemorroida e varizes.
18. Pode contribuir para a osteoporose.
19. Pode provocar uma queda na sensibilidade à insulina, provocando assim um nível elevado e anormal de insulina e, finalmente, diabetes.
20. Pode reduzir o nível de vitamina E.
21. Pode provocar sonolência e redução da atividade em crianças.
22. Pode interferir na absorção de proteínas.
23. Pode provocar doença cardiovascular.
24. Pode aumentar o tamanho do fígado ao fazer as células do órgão se dividirem e aumentar o nível de gordura no mesmo.
25. Pode aumentar o tamanho dos rins e produzir mudanças patológicas no órgão, como a formação de cálculos renais.
26. Pode danificar o pâncreas.
27. Pode aumentar a retenção de fluidos no organismo.
28. É o inimigo nº 1 do funcionamento do intestino.
29. Pode reduzir a capacidade de aprendizado e provocar transtornos de aprendizagem.
30. Pode provocar o aumento das ondas cerebrais delta, alfa e teta e assim alterar a capacidade de pensar com clareza.
31. Pode provocar a depressão e aumentar o risco do mal de Alzheimer.
32. Pode piorar os sintomas de crianças com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade.
33. Pode aumentar o risco de poliomielite.
34. Pode provocar a morte celular.

– (Maria Lúcia) Esse é apenas um resumo do potencial destrutivo desse “alimento”, ou seja, desse “veneno” que também está presente em chocolates, barra de cereais, sorvetes, pirulitos, balas e similares.

– (Dolores) Então devemos optar por adoçantes químicos no lugar do açúcar refinado?

– (Maria Lúcia) O certo é que precisamos evitar o açúcar refinado, mas o substituto precisa ser bem escolhido. Por exemplo, o produto químico metanol, presente no aspartame é altamente tóxico e também provoca alguns problemas graves de saúde como dores de cabeça e enxaquecas, tonturas, convulsões, náuseas, entorpecimento, erupções cutâneas, depressão, irritabilidade, insônia, perda auditiva, problemas de visão, perda de paladar, perda de memória e autismo.

– (Rose) O que a senhora recomenda para substituir o açúcar refinado e esse aditivo alimentar aspartame? Parece que está tudo contaminado!

– (Maria Lúcia) E está mesmo! Vocês devem procurar utilizar a frutose, que é o açúcar das frutas e a stévia, que é uma planta utilizada pelos Índios Guarani há mais de 1.500 anos. Em sua forma natural, a stévia é aproximadamente dez vezes mais doce do que o açúcar refinado. É adoçante, antidiabética, diurética, previne as cáries dentárias, antibacteriana, antifúngica, estimulante das funções cerebrais, digestiva e reforça as defesas do sistema imune. Praticamente não tem contraindicações!

– O açúcar branco pode ser substituído pelo açúcar de Coco. Cheio de vitaminas, o açúcar extraído do coco é um ótimo substituto do açúcar comum. Embora com a mesma quantidade de calorias do que o açúcar refinado, o índice glicêmico do açúcar de coco é mais baixo, logo as chances de estocar aquelas gordurinhas indesejáveis diminui. Essas informações eu obtive no site: http://saude.ig.com.br/alimentacao-bemestar/2015-03-02/acucar-de-coco-conheca-os-beneficios-do-queridinho-das-dietas.html

– (Dolores) Todos podem consumir o açúcar de coco?

– (Maria Lúcia) Eu recomendo para todas as pessoas desde que não apresentem nenhuma alergia específica ao alimento. Uma profissional nutricionista do Vita Check-up Center, Cíntia Azeredo, recomenda que os “Diabéticos também podem consumir, sendo até uma boa opção para o diabético tipo II, pelo baixo índice glicêmico. Porém, não se deve esquecer de que ele irá de qualquer forma agregar carboidratos à dieta e seu excesso acarretará danos à saúde”. O excesso sempre prejudica!

– (Maria Lúcia) Outra opção que eu recomendo é o Açúcar Demerara, conhecido como cristal dourado, que é levemente refinado, com a vantagem de não receber tantos aditivos químicos em seu processo de produção. Ele contém as vitaminas B1, B2 e B6 além de cálcio, magnésio, fósforo e potássio. Não se esqueçam do Mel, que é fonte de carboidratos, vitaminas do complexo B, minerais e apresenta comprovada ação antifúngica e bactericida. Como possui elevado valor calórico, não deve ser consumido em grande quantidade. Os que não são diabéticos, podem utilizar o açúcar Mascavo, que é obtido nas primeiras extrações da cana-de-açúcar, por isso possui menos calorias e mais minerais, como o cálcio, o magnésio, o potássio e o fósforo. Nós temos tantas opções de mercado mas sempre somos atraídos pelo branquinho do açúcar refinado, pobremente refinado!

– Desculpe se eu estou me alongando demais, mas esses dois produtos: sal e açúcar refinados estão na base de nossa alimentação e o seu uso reduz em pelo menos 15 anos o nosso tempo estimado de vida. São extremamente tóxicos e, como vimos, abrem as portas para a entrada de inúmeras doenças!

– Continuando a nossa plataforma dos alimentos e bebidas que devem ser evitados, temos o leite de vaca que não deve fazer parte de uma alimentação saudável dos seres humanos. Parece que, em todos os processos industriais que o “homem põe a mão”, ele acaba retirando os nutrientes naturais dos produtos e adiciona produtos químicos, como a soda cáustica, que é altamente tóxica. Vejam a seguir alguns dos motivos para não beber leite. Essas informações foram obtidas no site: http://www.semgluten semlactose.com/artigos/:

1. Leite aumenta a liberação de insulina pelo pâncreas, o que pode levar à diabetes, hipertensão, obesidade abdominal, síndrome do ovário policístico, câncer de mama, acne, entre outros problemas.
2. Estudos associam o consumo de leite com o surgimento de câncer de ovários, testículos e próstata, mal de Parkinson e Doença das Artérias Coronárias.
3. O consumo de leite piora os sintomas da Artrite Reumatoide.
4. Ao contrário do senso comum, o consumo de leite, ao invés de prevenir, pode ocasionar a osteoporose, pois pode levar à deficiência de magnésio, além de acidificar o sangue, fazendo com que o corpo retire cálcio dos ossos.
5. Existe uma correlação muito forte entre o consumo de leite e a prevalência da Esclerose Múltipla.
6. O leite neutraliza o meio ácido intestinal, necessário para a absorção de vitaminas e minerais, além de favorecer a fermentação de microrganismos patogênicos.
7. As pesquisas já identificaram no leite mais de 25 proteínas alergênicas, cujo o consumo regular pode promover um estresse do sistema imunológico, com a consequente fadiga imunológica e o aparecimento de doenças autoimunes.
– Portanto, o consumo regular de leite pode provocar cólica, náusea, flatulência, refluxo gastroesofágico, constipação intestinal, síndrome do colón irritável, urticaria, dermatites, distúrbios de ansiedade, depressão, déficit de memória, síndrome do pânico, otite, dermatite, rinite, obesidade, hipertensão, aumento da resistência a insulina, gastrite, dor de cabeça, enxaqueca, fadiga, artrite reumatoide, cistos ovarianos, diminuição da concentração, déficit de atenção, hiperatividade e mal de Parkinson.
– (Dona Neném) Então devemos parar de tomar leite?
– (Maria Lúcia) Dona Neném, eu recomendo somente dois tipos de leite para os seres humanos:
1. O Leite Materno – “Felizmente, a melhor proteção para o bebê está, justamente, nas mãos da mãe: crianças que recebem leite materno como alimento exclusivo nos primeiros seis meses de vida são mais resistentes a infecções, alergias, doenças e até mesmo complicações mais simples, como a cólica e o estresse”, afirma o pediatra Sylvio Renan Monteiro de Barros, da Sociedade Brasileira de Pediatria, no site: http://www.minhavida.com.br/ familia/galerias/15431-10-beneficios-da-amamentacao-para-o-seu-bebe.
2. O Leite Natural, da vaca para o consumidor final e que tenha passado pelo processo de extração com todos os cuidados de higiene. Aqui na fazenda, o leite é garantido e vocês podem consumir sem medo. Mas devem ser evitados todos os derivados que são produzidos, à partir do leite processado pelas indústrias, como queijos, requeijão, iogurtes, manteiga, cremes e geleias.

– (Geraldinho) Além do mais Maria Lúcia, nenhum outro animal na terra bebe leite após o desmame, muito menos o leite de outra espécie!

– (Maria Lúcia) Muito bem lembrado, Geraldinho!

– (Maria Lúcia) Agora prosseguindo com o próximo vilão da saúde, temos os alimentos enlatados e embutidos que geralmente são modificados quimicamente para terem maior durabilidade. Quem adora salaminho, hambúrguer, linguiça, salsicha, nuggets, sanduíche de presunto, hot dog e mortadela defumada pode estar em situação de risco. Em excesso, esses alimentos embutidos e enlatados fazem um tremendo mal à saúde. Essas informações foram obtidas no site: http://www.maisequilibrio.com.br/saude /os-perigos-dos-alimentos-enlatados-e-embutidos-5-1-4-791.html

– Esses alimentos possuem substâncias cancerígenas, como hidrocarbonetos aromáticos e carbo-hidroxilas, e carregam mais gordura saturada do que a versão natural, o que pode aumentar o colesterol e o risco de doenças cardiovasculares. O principal ingrediente que faz esses alimentos durarem mais é o sódio, que como vimos causa pressão alta e retenção de líquidos.

– Um estudo da Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação mostrou que 24% da ingestão de sal na dieta dos brasileiros vêm dos alimentos industrializados, principalmente os embutidos e enlatados. Fora isso, esses alimentos são munidos de conservantes, que são altamente prejudiciais. Além disso, a quantidade de aditivos que esses alimentos contêm pode sobrecarregar o fígado, que não consegue eliminá-los como deveria.

– (Rose) Então só devemos comer embutidos de carne branca como peito de peru e chester?

– (Maria Lúcia) Quando falamos em carnes, estamos incluindo todas elas. O peito de peru ou o chester são mais saudáveis, mas seu preparo de conservação é o mesmo do presunto. Não há problemas no consumo desses alimentos, caso você os faça, no máximo, duas vezes por semana. Todos nós sabemos que é mais prático chegar em casa e fazer um sanduíche com peito de peru do que cozinhar um alimento fresco, mas isso não pode virar rotina.

– Agora, eu quero apresentar um dos maiores vilões do consumo! O pior é que as nossas crianças adoram! Hoje, a bebida de maior consumo no Mundo, depois da água, é o refrigerante que aumenta o risco de doenças como a obesidade, diabetes, gastrite e câncer de esôfago, por causa das diversas substâncias químicas que entram em sua composição. A senhora se lembra dona Neném quando eu disse que para um copo de refrigerante que a senhora tomar são necessários trinta e dois copos de água para alcalinizar novamente o seu sangue e o seu corpo.

– (Dona Neném) Lembro sim! Inclusive eu mudei o meu hábito e já não tomo refrigerantes há uns dois meses!

– (Maria Lúcia) Parabéns dona Neném! A senhora parou de consumir açúcar refinado, conservantes, acidulantes, antioxidantes, corantes, estabilizantes, umectantes e aromatizantes. Cada lata de refrigerante tem um centímetro e meio de puro açúcar o que dá, mais ou menos, três colheres de sopa cheias de açúcar. Essas informações, eu obtive no site: http://www.hipertrofia.org/ blog/2007/07/16/maleficios-do-refrigerante/.

– Pesquisas recentes revelam que o refrigerante aumenta em 80% o risco de diabetes. De acordo com estes estudos, o risco de desenvolver a doença chega a quase dobrar nas pessoas que consomem este tipo de bebida, pelo menos uma vez por dia. Os refrigerantes também aumentam os riscos de câncer no esôfago, incham o estômago e causam refluxo gástrico.

– O consumo de refrigerante agrava os quadros de gastrite, flatulência, os níveis de colesterol e é responsável uma maior incidência de cáries e erosão dental, processo caracterizado pela perda do tecido duro da superfície dos dentes.

– (Geraldinho) Então beber refrigerantes só faz aumentar o consumo de calorias vazias, que não acrescentam nada à saúde do nosso organismo?

– (Maria Lúcia) Isso mesmo, Geraldinho! Além dos refrigerantes, temos as bebidas alcoólicas que baixam o nível de magnésio no sangue e intoxicam o fígado. Os sucos artificiais também possuem corantes químicos que impedem a absorção de vitaminas do complexo B. Os refrigerantes do tipo cola contém formaldeído, que é altamente tóxico, e os refrigerantes dietéticos contém sacarina ou fenilalanina, também tóxicas.

– (Vicente) Além disso, todo refrigerante, água aromatizada, isotônicos, energéticos e sucos embalados em garrafas plásticas PET produzem a Dioxina, quando expostas ao calor do sol, que é altamente cancerígena, conforme estudamos aqui no grupo! Esses alimentos intoxicantes levam a um quadro perigoso e nos deixa altamente vulneráveis!

– (Maria Lúcia) Muito bem lembrado Vicentinho! Sempre com a percepção afiada! O transporte não adequado de garrafas plásticas produz Dioxina!

– (Dolores) Daqui há pouco, os fabricantes de refrigerantes serão obrigados a inserir uma tarja igual a dos cigarros demonstrando claramente ser um produto cancerígeno, com aquelas fotos horríveis de pessoas agonizando!

– (Maria Lúcia) Em alguns países, isso já está se tornando Lei. Logo, logo, chega no Brasil! Somente assim para despertar as pessoas! Mas também, com o excesso de marketing promovendo o produto e a mídia completamente manipulada, somente poderíamos ter um cenário como esse: excesso de consumo de refrigerantes e o público alvo, as nossas crianças!

– (Rose) Eu li recentemente que não é apenas o refrigerante que causa problemas. Quase todas as latas de alumínio são revestidas pela resina chamada bisfenol A (BPA), aquela que produz a Dioxina. Essa resina é usada para impedir que os ácidos do refrigerante reajam com o metal. E vocês se lembram que a Dioxina interfere com os nossos hormônios e provoca inúmeros problemas como a infertilidade, a obesidade e até o câncer!

– (Maria Lúcia) Bem lembrado, Rose! Agora vamos conhecer mais um produto que é o nosso queridinho e que deveremos evitar. Quando os grãos de trigo são refinados, os seus nutrientes naturais são todos destruídos. Mais uma vez a interferência humana destrói um produto natural!

– (Maria Lúcia) A farinha de trigo refinada não fica branca imediatamente, algumas empresas utilizam o gás de cloro para acelerar o processo. Esse produto químico é altamente perigoso e se inalado em excesso pode ser letal. Essas informações eu obtive no site: http://www.bolsademulher .com/corpo/farinha-branca-traz-riscos-de-obesidade-diabetes-e-doencas-cronicas.

– A farinha branca tem ação semelhante ao açúcar no organismo, aumentando a taxa de glicose no sangue e, por isso, o consumo em excesso está associado ao aumento de triglicérides e incidência de diabetes, obesidade e doenças como o câncer.

– O processo de refino da farinha de trigo reduz 80% da quantidade de fibras. As fibras alimentares estão entre os principais fatores da alimentação na prevenção de doenças crônicas, além de melhorar o controle de diabetes mellitus, reduzir o risco de câncer e regularizar o funcionamento intestinal.

– Os produtos preparados com a farinha de trigo refinada não apresentam os mesmos benefícios para a saúde como os que são preparados com a farinha integral. O trigo não refinado preserva parte da casca do cereal e também o gérmen, onde se encontram os principais nutrientes, como fibras, vitaminas e minerais.

– Portanto, cuidado com o consumo de massas, salgadinhos, bolos, bolachas, biscoitos e cereais preparados com farinha de trigo refinada e com glúten. Esses produtos de padaria contém gordura saturada e hidrogenada, margarina, sal, açúcar e conservantes.

– O glúten provoca problemas de concentração, esquizofrenia, bipolaridade e depressão reduzindo a qualidade de vida, além de dores estomacais e abdominais, dentre outros efeitos nocivos ao organismo. Pesquise sobre os malefícios do glúten e você ficará assustado com o potencial destrutivo desse produto para os seres humanos.

– (Dona Neném) Maria Lúcia, como faço para substituir o pão francês no meu café da manhã? Eu preciso comer um ou dois pãezinhos pro meu dia ficar mais gostoso de viver? Aquele pãozinho com manteiga é tradicional no café da manhã de milhões de brasileiros!

– (Maria Lúcia) Dona Neném, se a senhora quer perder peso, ter bem-estar ou ter saúde integral, primeiramente, deve estar disposta a mudar. Depois, precisa ter disciplina e ter persistência. Assim acontece com os nossos hábitos, todos eles! Uma boa saúde começa com a alimentação.

– (Maria Lúcia) O pão francês é composto de carboidratos simples, ou seja, ele é transformado em glicose num piscar de olhos. A insulina é liberada depressa. Sua taxa de açúcar no sangue despenca e a senhora continua com fome e tende a comer mais um pãozinho. O primeiro passo para mudar esse hábito é trocar o pão francês tradicional pela versão integral. O que muda é a velocidade com que o açúcar será absorvido pelo seu corpo, a senhora entendeu?

– (Dona Neném) Entendi! Eu preciso ter determinação e persistência para mudar meus velhos hábitos! Tudo isso provoca, com certeza, muito sofrimento!

– (Dolores) Maria Lúcia, que outras farinhas eu posso utilizar para substituir a farinha de trigo refinada?

– (Maria Lúcia) Tem muitas opções no mercado, como a farinha de amêndoa, a farinha de quinua, a farinha de linhaça, a farinha de chia, a farinha de arroz, a farinha de mandioca, a farinha de banana verde e a farinha de maracujá. Elas não contém glúten e todas são fonte de diversas vitaminas e minerais. Lembro que ao chegar no intestino o glúten transforma-se em uma espécie de cola grudando nas paredes intestinais. Vamos passar adiante e conhecer o nosso último vilão?

– (Maria Lúcia) As Frituras. As pessoas que baseiam a sua dieta em frituras, onde os alimentos estão cheios de óleos, correm o risco de ocasionar várias complicações em seu organismo, em virtude da ação do óleo quente fritando os alimentos que serão consumidos. Com o calor resultante do aquecimento, os triglicerídeos são desmembrados em ácidos graxos e glicerol que acaba provocando a desidratação molecular. Essas informações foram obtidas no site: http://www.nutricaoemfoco.com/ 2011/05/25/ maleficios-causados-pelas-frituras/.

– Com a desidratação, que é o processo de perda de água, é formada uma substância denominada acroleína que, de acordo com pesquisas realizadas, apresenta um potencial altamente cancerígeno, que destrói as fibras elásticas do corpo humano, além de provocar a irritação das mucosas nasais e gástricas. Como resultado da ação da acroleína, ocorre o envelhecimento e a degeneração celular precoce, reduzindo a vitalidade das pessoas e, consequentemente, o seu tempo de vida.

– (Vicente) Lembrando que os óleos engarrafados em garrafas plásticas contém BPA e Dioxina, o que aumentam os efeitos negativos das frituras!

– (Maria Lúcia) Bem lembrado, Vicentinho!

– (Dolores) Maria Lúcia, qual é o melhor óleo para fritar os alimentos?

– (Maria Lúcia) De acordo com os pesquisadores, o azeite de oliva, o óleo de coco e a banha animal, em quantidades moderadas, suportam melhor o calor da fritadeira, em comparação ao que acontece com muitos óleos de sementes. Isto permite uma preparação mais saudável dos alimentos. Agora, o melhor mesmo, para a nossa saúde, é evitar os alimentos fritos. A lista de alimentos a serem evitados é muito extensa e não termina com essas seis abordagens! Mas acredito que esses seis são os nossos piores inimigos!

– (Vicente) Maria Lúcia, e quando a gente reutiliza, com frequência o mesmo óleo para fritar alimentos?

– (Maria Lúcia) Para aquelas pessoas que costumam reutilizar óleo da fritura, sob o pretexto de economizar mais, vai uma orientação: o óleo, que é aquecido por várias vezes, apresenta um efeito ainda mais prejudicial ao organismo da pessoa, pois tanto a decomposição da gordura quanto a formação da acroleína ficam muito mais acentuadas. É a famosa economia que sai muito mais cara ao longo do tempo!

– Por isso os especialistas estão sempre orientando que: “para se manter uma boa qualidade de vida e prevenir o risco de doenças, as pessoas devem evitar consumir alimentos ricos em gordura, evitar uma vida sedentária, evitar o excesso de peso corporal além de excluir da dieta alimentar, as frituras que, como foi visto, causam graves malefícios à saúde”.”

Publicado por: Gildásio Starling

Gildásio Starling
Administrador de Empresas com Pós-graduação em Administração Financeira e Investimentos, Pesquisador de Ciência Lilarial do Dakila Pesquisas.

Interaja conosco. Comente abaixo